terça-feira, 24 de julho de 2007

Preservação ambiental deve ser um desafio para os surfistas

Por: João Malavolta / Ecobservatório

Ainda pouco se fala na comunidade do surf sobre o papel dos surfistas em relação ao desafio da preservação ambiental. Porém algumas iniciativas como pranchas que poluem menos, ONG´s ambientalistas dirigidas por surfistas ou mesmo veículos de mídia que apóiam ações ecológicas já se projetam como a luz verde que vem da praia .

Toda a Humanidade está rumando para um caminho sem volta devido ao nosso modelo de desenvolvimento que vem causando um grande desequilíbrio socioambiental. Se pensado o ar, a água ou mesmo a comida em nossa mesa, será possível ver que tudo que consumimos vem da natureza, ou seja, retiramos matéria prima para nos satisfazer e devolvemos como resíduos, que por sua vez se transformam em poluição.

A preocupação com a qualidade do meio ambiente já inquieta as pessoas em todos os cantos do planeta. Estima-se que os níveis dos oceanos podem subir em média cinco metros nos próximos 50 anos devido ao aquecimento global, o que levado em consideração se pensado que isso geraria um avanço das águas do mar em até 1 quilometro terra a dentro, pode-se imaginar centenas de praias pelo mundo desaparecendo, ou seja, a água chegará aos nossos quintais.

Já não é novidade calor no inverno e frio no verão, essa temível realidade vem tirando o sono de cientistas e ambientalistas das mais variadas áreas de estudo.

A capacidade dos seres humanos de inventar novas tecnologias se mostra infinita, porém tudo que é concebido possui matéria prima de origem natural. No entanto grande parte das coisas que são criadas quando não nos servem mais são descartadas de forma irresponsável no meio ambiente, se transformando em lixo, que na maioria dos casos levam dezenas ou até mesmo centenas de anos para se desintegrarem.

Práticas das mais variadas formas estão sendo utilizadas para deter a pressão humana contra os recursos naturais. Iniciativas como reciclagem, economia de energia elétrica já são realizadas por uma pequena parcela da população.

O papel dos surfistas

Tendo como a base do seu estilo de vida a praia e todas as relações que esse ambiente possui, os surfistas têm uma grande responsabilidade frente às questões de ordem ecológica. Basta pensar que toda a alma do surf esta ligada ao oceano e que essa é a fonte de inspiração de milhões de praticantes do esporte pelo mundo. O papel do surfista de hoje deve ser a do ambientalista e ultrapassar a faixa de areia e adentrar suas casas, seu ambiente de trabalho, ou seja, todo o seu cotidiano.

Sendo potencialmente os maiores interessados na preservação do “pulmão” do mundo, os oceanos, todos devem compactuar na busca de um novo pensar sobre o que, e como consumimos, pois só assim teremos a chance de perpetuar o esporte e a alma do surf.

A percepção dos elementos da natureza por esses, “Homens do Mar”, já atravessa séculos. No entanto devido à urgência de alterar a nossa forma de consumir e de pensar, um novo olhar em favor da sustentabilidade deve ser projetado como desafio para a comunidade do surf nesse milênio.

A compreensão da complexidade das inter-relações que a natureza possui está incutida dentro de cada um, devido à integração com a natureza que o surf proporciona, sem dúvida isso facilita o nosso entendimento sobre o meio natural, para que possamos aprender a respeitar os limites da natureza.

À medida que o número da população mundial cresce, o impacto e a extração de recursos naturais aumentam para que se possa abastecer com produtos e alimentos essa massa de pessoas, daí a quantidade de lixo também cresce consideravelmente. Calcula-se que se todos os paises consumissem da mesma forma que o mundo desenvolvido, necessitaríamos de ter o equivalente a 4 planetas Terra.

Estima-se que mais de 70% dos oceanos estão contaminados por resíduos sólidos. Mais de 80% desse todo é constituído por matériais de difícil decomposição como o plástico.

Se pensada a quantidade e a diversidade de recursos ambientais que se retira do meio ambiente para a produção de uma simples caixa de “bombom”, pode se notar a importância que devemos ter em escolher produtos de maneira consciente quando fomos consumir.

Para refletir...

Uma caixa de bombom quando comprada vem embrulhada por uma embalagem plástica que envolve uma caixa de papelão. Dentro da caixa de papelão vem os bombons, que estão embrulhados por mais um pedaço de plástico, esse que recobre uma parte de alumínio para se chegar ao chocolate.

Analisando dessa forma nota-se que ao término do consumo desses chocolates uma grande produção de resíduos foi gerada, ou seja, lixo.

Quando nos dirigimos as praias para as sessões de surf muitas vezes nos deparamos e nos assustamos com a quantidade de sujeira que se encontra depositada na areia, possivelmente deixada por freqüentadores ou mesmo trazida pela maré.

Geralmente essas quantidades de lixo encontradas em sua maioria são de embalagens para alimentos que foram desagradavelmente atiradas ao mar, poluindo e empobrecendo a paisagem.

Nesse processo muitas pessoas se perguntam o quê fazer para frear a degradação ambiental? A resposta a essa pergunta esta dentro de cada um. Mudando hábitos e atitudes individuais em relação ao desperdício ou mesmo o consumo desnecessário daquilo que de fato não precisamos é possível beneficiar toda a coletividade e produzir menos lixo para o Planeta tornando a nossa estada na Terra mais limpa.

Um novo pensar sobre a atividade humana deve ser à base da reflexão das pessoas de hoje para um futuro sustentável amanhã. Quando entendida força do surf em prol do meio ambiente conheceremos o verdadeiro espírito “soul surf” que deve ser a cara desses novos tempos em busca de ondas verdes.

1 comentários:

Obrigada, Jõao, pela particularidade de seu brilho num céu cheio de estrelas que se faz nascer. Que ilumunemos assim o mundo dos humanos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Creative Commons License
Ecobservatório by João Malavolta is licensed under a Creative Commons.
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More